1 comentário
 
Nestes tempos, tão propícios a criticar a Alemanha, pela má liderança de Angela. é de destacar o contínuo arrojo e visão das empresas alemãs em prevenir os riscos do futuro e fazer das dificuldades oportunidades.
 
O Desertec é um ambicioso plano energético para fornecer energia à Europa.
 
Enquanto uns se queixam, outros preocupam-se em preparar o futuro.
Tags: , ,
comentar

Le premier ministre russe Vladimir Poutine a inauguré mardi 6 septembre le gazoduc Nord-Stream, un projet stratégique dont le tracé, d'une longueur de 1 224 km, doit à terme permettre de transporter 55 milliards de mètres cubes de gaz par an de Vyborg jusqu'à la ville allemande de Greifswald en traversant les eaux territoriales de la Russie, de la Finlande, de la Suède, du Danemark et de l'Allemagne.

 

"Le volume de gaz fourni (sera) comparable à l'énergie produite par onze centrales nucléaires", a expliqué Vladimir Poutine à Gerard Schröder.

 

O Nord-Stream, hoje inaugurado por Vladimir Putin, é um acontecimento histórico em termos energéticos a nível europeu. Desde logo pela ligação directa entre russos e alemães. Deixa de haver intermediários entre o produtor e o consumidor, mas também de agravamento de relações entre a Rússia e antigos Estados soviéticos, como a Ucrânia, mas também a Bielorrússia, países por onde parte significativa da exportação de gás russo passava e gerava lucros locais.

 

Por outro lado, resta saber que vantagens energéticas vão ser conquistadas na UE, pois vários Estados-membros, nomeadamente os que aderiram à UE em 2004 e fizeram parte do Pacto de Varsóvia, dependem, e muito, da energia oriunda da Rússia.

 

Veremos o que esta estratégica conduta irá gerar no futuro. Fossem outros os tempos e deveríamos encarar com muito receio esta aliança, na qual os russos continuam a ter a faca e o queijo na mão

Tags: , ,
comentar

Il premier giapponese Naoto Kan ha dichiarato che il Giappone deve ridurre la propria dipendenza dell'energia nucleare e puntare verso una società in grado di farne a meno. Tenuto conto della gravità dell'incidente di Fukushima, "non si può più sostenere che la politica condotta fino ad oggi garantisca la sicurezza dello sfruttamento dell'energia nucleare. Dobbiamo concepire una società che possa farne a meno", ha spiegato Kan in conferenza stampa.

"Riduzione a favore delle energie rinnovabili".

 

Perante o desastre de Fukushima, os japoneses estão apostados em mudar o seu modelo de sustento e desenvolvimento.

 

Medida corajosa e audaz, de um país que sabe quando arrisca tende a triunfar no futuro.

Tags: ,
1 comentário

Apesar de um acordo parecer iminente a meio da tarde de hoje

Falhanço nas negociações para o fim da crise do gás

 

Mal tinha acabado de destacar a solução à vista, surge Moscovo a recusar o que estava a dar por acordado.

Pelos vistos, o poder dos negociadores russos em Moscovo é bastante diminuto, uma vez que é o chefe do Governo quem determina o que se faz ou não.

Assim sendo, é desejável que Putin se sente à mesa das negociações, em vez dos responsáveis da Gazprom, dado que se pouparia tempo com reuniões em que parte dos representantes não tem competência alguma.

Por outro lado, a Rússia demonstra e faz sentir o seu poder. Tivesse a UE uma voz una e seguramente Moscovo não se comportaria como quer e pretende. Mas a culpa não é russa, é nossa. (Publicado no Palavra Aberta)

Tags: , ,
comentar

A Ucrânia assinou hoje um acordo com a Comissão Europeia convidando observadores europeus a deslocarem-se até Kiev para verificaram o trânsito do gás russo por aquele país, indicou à AFP um membro da delegação ucraniana junto da UE. O presidente da Gazprom russa já concordou que irá voltar a abastecer a Europa com gás depois de os observadores comprovarem o funcionamento dos gasodutos na Ucrânia.

 

Foi preciso o Presidente da Comissão Europeia, e bem, assumir o papel europeu, que devia ter sido da Presidência checa, de colocar russos e ucranianos a procurar entender-se, para acabar a presente situação de corte de gás que prejudica gravemente as famílias e empresas da UE.

A condução europeia, por parte dos checos é tão má que nem com os próprios checos os políticos de Praga manifestaram interesse, pois a República Checa é uma das mais afectadas com o corte de gás russo. (Publicado no Palavra Aberta)

Tags: ,
comentar

 

Como os dados indicam, cerca de metade dos Estados-membros da UE está dependente do gás russo, nalguns casos essa dependência é total. A energia é de extrema importância para as nossas vidas e só quando se dá pela sua ausência comprovamos o seu relevo. Se hoje está bastante frio em Portugal, calcule-se como não estará na Europa Central, onde, ainda por cima, falta gás para combater as baixas temperaturas que se fazem sentir. (Publicado no Palavra Aberta)

Tags:
comentar

 

Pois é Carlos, tens razão.

Parece claro qual vai ser a grande aposta da Rússia para a próxima década. Nunca a geopolítica dos recursos energéticos foi tão importante para a definição da nova ordem mundial que se aproxima. Ñeste período de indefinição em relação ao futuro as potências tentam capitalizar as suas mais valias para lhes conferir vantagens políticas para os dias dificeis que aí virão.

A existência de uma política energética comum tem sido, e bem, um dos cavalos de batalha da Comissão Barroso e teve no Presidente Sarkozy e na presidência francesa da UE um aliado firme.

Mas noticias como esta vêm relembrar que as politicas que a Russia tem vindo a seguir na ultima decada são consequência, em muito, da sua debilidade estrutural e da sua falta de competitividade.

Porém, o urso russo não vai estar fraco para sempre...

 

Tags: , ,
comentar

España ha estado hasta ahora fuera de la estrategia del monopolio, aunque éste se ha acercado a la Península Ibérica tanto por el Este, vía Portugal, donde intentó comprar un paquete de Galp Energia en 2006, como por el Sur, vía Argelia, donde en agosto del mismo año firmó un acuerdo con la empresa Sonatrach. Entonces se dijo que Gazprom quería aprovechar la posición en Argelia para acceder al mercado del sur de Europa. Ahora, podría ocurrir que ponga un pie en España para entrar en Portugal, según medios del sector. La estrategia entonces y ahora es la misma: extender su presencia a todo el continente.

 

A pretensão do gigante russo de energia, Gazprom, comprar um quinto da Repsol, tem um alcance bastante vasto. A comprar, a Gazprom alcança uma posição privilegiada para entrar em Portugal, como já tentou, e na América Latina.

Há, ainda, a considerar, a regulação europeia que impede o monopólio de empresas estrangeiras controlar o gás e electricidade.

Mas, por este andar, será que a conhecida "cláusula anti Gazprom" terá efeito? Qualquer dia o domínio energético russo na UE é quase avassalador. 

Tags: , ,
comentar

La capacidad de los europeos de tomar medidas contra el Kremlin es muy limitada. Rusia es el tercer socio comercial de la UE, después de Estados Unidos y China, sobre todo porque le suministra un tercio del petróleo que necesita y un 40% del gas.

 

Quem pensa que a UE pode estrebuchar com Moscovo, tem acima descritos dados que elucidam o porquê da necessária e indispensável prudência europeia.

 

Tags: , ,
1 comentário

A Grã-Bretanha pediu hoje à União Europeia (UE) que "suspenda" as negociações para uma parceria reforçada com a Rússia, na sequência da sua intervenção militar na Geórgia, anunciou um porta-voz de Downing Street.

 

Como o Reino Unido não se "aquece", no Inverno, com energia vinda de leste, Brown pode dar-se ao luxo de querer apertar com Moscovo.

Brown não está a (querer) ler a condicionante em que a Europa está metida - dependente energeticamente do exterior -, e pretende que a Europa se torne independente de quaisquer pressões exteriores, entenda-se: da chantagem russa.

Para isso era necessária uma política energética comum e Brown não a defendeu, como nenhum dos seus colegas europeus.

A força da Rússia, em relação à UE, reside na nossa posição de debilidade negocial.

Os russos limitam-se a fazer das nossas lacunas as suas forças. Entretanto, nós, europeus, continuamos a tornar-nos mais vulneráveis.  

 

Tags: , ,
1 comentário
Chakib Khelil, presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, a OPEP, considera que os actuais preços do "ouro negro" são "anormais" e antecipa uma queda das cotações para 70/80 dólares por barril, com a valorização da divisa norte-americana e o aliviar das tensões geopolíticas.
Marc Faber ficou conhecido por prever a maior queda diária de sempre nas acções americanas, em 1987. O arauto da "Segunda-feira Negra" partilhou com o Jornal de Negócios as suas previsões para a evolução do petróleo. O investidor suíço acredita numa forte correcção no preço da matéria-prima, mas apenas no curto prazo.
As cotações do petróleo caíram para um mínimo de 10 semanas, penalizadas pela valorização do dólar face ao euro, o que limita a atractividade das matérias-primas como cobertura contra a inflação.
 
Tags: , , ,
comentar

Merkel y Sarkozy se enfrentan por los impuestos sobre el combustible

 

Los precios altos del combustible están aquí para quedarse y deben seguir siendo disuasorios para que los europeos utilicen menos sus coches y contribuyan menos a las emisiones de gases de efectos invernadero, mantiene la Comisión Europea, a la que ayer se encargó que estudie estrictas medidas coyunturales para ayudar sólo a los más perjudicados. Unidos en su "inquietud respecto al continuado encarecimiento del petróleo", los gobernantes de los Veintisiete chocan sobre qué hacer ante el creciente malestar popular. A un lado, Nicolas Sarkozy, que propone rebajar los impuestos sobre los combustibles. Enfrente, casi todos los demás. Angela Merkel, como la Comisión, no quiere ni oír hablar de recortes fiscales

 

Num momento em que se devem procurar respostas alternativas ao consumo excessivo de petróleo na Europa, Sarkozy, bem ao seu estilo populista, quer dar sinais errados aos cidadãos, com a defesa da baixa dos impostos dos combustíveis, como se isso fosse benéfico.

Como refere, e bem, uma fonte da Comissão Europeia, a respeito da proposta de Sarkozy, tal medida seria dar pão hoje para ter fome amanhã.

Felizmente, em Berlim, está alguém com sentido de Estado e com responsabilidade para não seguir o facilitismo. Os tempos não são fáceis e não é iludindo hoje que se melhora amanhã.

Mais uma vez, Merkel diferencia-se dos governantes europeus de direita, em especial o francês e o italiano, por não pactuar com populismos que só conduzem a becos sem saída.

Tags: , , ,
comentar

Espalhar farpas é a parte fácil, agora falta a explicação económica e política.

  

Caro Miguel Lopes,

É certo o que diz. Não bastam umas larachas, importa corroborar posições. Por isso, no caso das petrolíferas da América Latina, pela sua similitude (que é manifesta quando comparada no seu quadro regional e que pouco tem a ver com a realidade da intervenção estatal norueguesa, russa ou saudita, até por se tratarem de enquadramentos políticos, sociais e culturais diferentes dos latino-americanos), importa verificar qual a companhia petrolífera mais bem sucedida, e porquê, e quais as falhadas, e a que se devem tais perdas, no quadro da América Latina.

Por isso, merece leitura este artigo, que expõe as virtudes e os defeitos das companhias petrolíferas latino-americanas

Como se pode depreender da leitura do texto, o caso de sucesso da Petrobras, que Fernando Henrique Cardoso lançou em 1997, e que Lula sabiamente não alterou, dado o êxito da companhia brasileira, bem podia ser um bom exemplo para o resto do continente. Trata-se de um bom exemplo. O Estado não se demite da sua presença, mas sabe que será tão mais bem sucedido nas suas pretensões de desenvolvimento e ganhos nacionais quanto mais contar com privados, que permitam melhorar a acção da companhia. Ao invés, as políticas populistas latino-americanas, com obsessão de tudo querer dominar, e de ver nos investidores estrangeiros uma ameaça, tal postura só conduz, como a realidade comprova, ao insucesso e perdas nacionais. 

Tags: ,
1 comentário

Las recientes nacionalizaciones de empresas privadas en Bolivia y Venezuela significan retroceso para la región, porque solo traerán pobreza y subdesarrollo

...

Se piensa que el populismo es algo muy fructífero, pero al final lo que pasa es que la inversión se para, la economía se frena, y hay dolor por todos lados, no es una buena vía

 

Ainda há quem pense que as nacionalizações são um boas e rentáveis. Os resultados estão à vista.

Como refere um ex-Ministro da Economia peruano, este Estado sul-americano perdeu 20 anos de desenvolvimento, devido às nacionalizações que a ditadura de direita decretou na década de 70. Desta feita, os populismos de esquerda, predominantes nalguns Estados latino-americanos, estão a enveredar pela implementação de mais injustiça social.

Tags: ,
1 comentário

hace dos años, recién llegado al Palacio Quemado, Morales firmó el decreto de nacionalización de los hidrocarburos, ayer el mandatario anunció que el Estado boliviano ya tiene mayoría en todas las empresas que explotan dicha riqueza en Bolivia. Estos anuncios tienen un casi inmediato rédito político, pero las cifras advierten de que el proceso nacionalizador no ha traído un incremento de riqueza, sino todo lo contrario.

...

La gran paradoja es que incluso hay riesgo de desabastecimiento interno en Bolivia.

 

Para quem vê, com bons olhos, as políticas de nacionalizações da América do Sul, pode ler a notícia do El País que dá um testemunho da desastrosa nacionalização do gás na Bolívia.

Como se podia prever, a pretensão obsessiva dos populismos sul-amernicanos, de tudo querer dominar e dos investidores estrangeiros afastar, acaba por prejudicar o próprio país.

 

Tags:
comentar

Escrevi um texto mais abaixo sobre a esquerda anacrónica no México, que se opõe à abertura ao sector privado da petrolífera estatal mexicana Pemex.

O André Azevedo Alves, do Insurgente, também destacou o assunto e gerou-se um interessante debate na caixa de comentários do Insurgente.

Dos vários comentários apresentados, destaco o do jornalista mexicano J. Enrique Olivera Arce, que refere a maior mobilização do país desde 1938 devido à questão energética, e concebe uma possível abertura da Pemex ao sector privado como uma subordinação às empresas norte-americanas e europeias.

Primeiro, a Pemex não tem necessariamente de abrir-se a empresas destes continentes, porque há outras, em África e na Ásia, na América do Sul inclusive, que podem entrar na petrolífera mexicana.

Depois, como López Obrador e os seus deputados, grevistas de fome, o jornalista mexicano não apresenta nenhuma forma de melhorar a Pemex.

É fácil criticar, mas antes de mais, é preciso resolver e a Pemex não pode continuar a afundar-se.

Enquanto muitos vêm atentados à soberania do México, o que se verifica com a actual situação, e alguns esquecem, é o afundar de uma grande companhia, vital para o interesse do México e seus nacionais. 

Tags: , ,

Pesquisar
 
Contactos
camaradecomuns@sapo.pt

Editorial

Visitantes online

Comentários Recentes
Para mim casamento deve ser entre um homem e uma m...
Caro RFCom a modéstia com que foi escrito, podes t...
N sei q espirito deus aspirou pr a Africa. este co...
Mocambique està mais que tudo isto, sinto d...
e há cartas que nunca chegam.
Aguem colocou esta carta excelente na página de PP...
Τambém gosto de brincar aos pobrezinhos.NUNCA MAIS...
Τambém gosto de brincar aos pobrezinhos.NUNCA MAIS...
Everdade este pais precisa de um bom governador k ...
Casino EstorilA falta de escrúpulos veio para fic...
Tags

todas as tags

Links

Esquerda

5 dias
A barbearia do senhor Luís (Luís Novaes Tito)
A Busca pela Sabedoria (Micael Sousa)
A Forma e o Conteúdo (José Ferreira Marques)
A Forma Justa (Tiago Tibúrcio)
A Linha-Clube de Reflexão Política
A Nossa Candeia (Ana Paula Fitas)
Absorto (Eduardo Graça)
Activismo de Sofá (João R. Vasconcelos)
Adeus Lenine
Arrastão
Aspirina B
Banco Corrido (Paulo Pedroso)
Bicho Carpinteiro
Câmara Corporativa
Câmara de Comuns
Cantigueiro
Causa Nossa
Cortex Frontal
Defender o Quadrado (Sofia Loureiro dos Santos)
Der Terrorist (José Simões)
Entre as brumas da memória (Joana Lopes)
Esquerda Republicana
Hoje há conquilhas (Tomás Vasques)
Irmão Lúcia (Pedro Vieira)
Jovem Socialista
Jugular
Ladrões de Bicicletas
Les Canards libertaîres
Léxico Familiar (Pedro Adão e Silva)
Loja de Ideias
Luminária
Machina Speculatrix (Porfírio Silva)
Maia Actual
Mãos Visíveis
Mário Ruivo
Metapolítica (Tiago Barbosa Ribeiro)
Minoria Relativa
O Grande Zoo (Rui Namorado)
O Jumento
O Povo é Sereno
Raiz Política
Rui Tavares
Spectrum
Vias de facto
Vou ali e já venho (André Costa)
Vozes de Burros

Direita

31 da Armada
4R – Quarta República
A Arte da Fuga
A Douta Ignorância
A Origem das Espécies (Francisco José Viegas)
Abrupto (José Pacheco Pereira)
Albergue Espanhol
Alunos do Liberalismo
Blasfémias
Causa Monárquica (Rui Monteiro)
Clube das Repúblicas Mortas (Henrique Raposo)
Corta-fitas
Delito de Opinião
Era uma vez na América
Estado Sentido
Geração Rasca
Herdeiro de Aécio
Macroscópio
Menino Rabino (Marco Moreira)
Mercado de Limões (Tiago Tavares)
Minoria Ruidosa (Miguel Vaz)
O Cachimbo de Magritte
O Diplomata (Alexandre Guerra)
O Insurgente
Ordem Natural (Rui Botelho Rodrigues)
Palavrossavrvs Rex (Joaquim Carlos Santos)
Portugal Contemporâneo
Portugal dos Pequeninos
Psicolaranja
República do Caústico (João Maria Condeixa)
Rua da Judiaria
Suction with Valcheck
União de Facto

Outros

A Baixa do Porto (Tiago Azevedo Fernandes)
A Cidade Deprimente
A Cidade Supreendente
A Terceira Noite
Clube dos Pensadores (Joaquim Jorge)
De Rerum Natura
É tudo gente morta
Horas Extraordinárias (Maria do Rosário Pedreira)
Notas ao Café
O Diplomata
Arquivo

Abril 2015

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008