comentar

A Comissão Europeia defende que o exercício orçamental de 2011 é "muito exigente" para Portugal porque terá de acomodar num orçamento difícil de consolidação a dívida oculta da Madeira e uma menor actividade que resulta do arrefecimento da economia europeia. Para 2012 pede-se uma "austeridade inteligente" para não prejudicar o crescimento.

 

Não vale a pena o PSD e o CDS apresentarem a tese da vítima ofendida, de que a culpa é da governação do PS. A Comissão Europeia, insuspeita e dominada pelo partido no qual os dois partidos do Governo português têm filiação europeia (o PPE), diz, preto no branco: os desvios de 2011 devem-se à Madeira - o arquipélago governado pelo PSD quase há quatro décadas - e à crise europeia.

 

Por outro lado, é pedida uma "austeridade inteligente". Lamentavelmente, ontem, Passos Coelho apresentou um garrote a milhões de portugueses, colocando entraves ao crescimento económico. 

Tags: , , ,
comentar

CDS ataca Vítor Gaspar por causa da subida de impostos

 

CDS está na coligação “com lealdade mas com autonomia”

 

O CDS parece estar a aprender a lição britânica e alemã e deixar a factura das más políticas para o parceiro de coligação.

 

Por várias vezes, nos últimos tempos, o CDS tem procurado demarcar-se das medidas do PSD e limitar-se a apresentar, assim que pode, medidas bem aceites. Talvez o exemplo dos libdem, do Governo britânico, e do FDP, do alemão, sejam inspiradores do caminho que o partido do Caldas não deve seguir.

 

A má governação da direita, com medidas muito pesadas e penalizadoras da vida das pessoas, representam, em termos políticos, o esvaziamento dos partidos de menor dimensão e a passagem de uma condição de poder viabilizador de poder a formação política sem qualquer poder de negociação.  

 

Ficar refém e dependente do grande parceiro é um erro, até porque a rejeição faz-se sentir de modo mais pesado na força governativa minoritária, como ainda ontem o FDP, numa eleição regional alemã, sentiu, perdendo representatividade num land germânico.     

Tags:
comentar

A manhã em Peso da Régua está a ser marcada por uma manifestação de vitivinicultores em defesa dos vinhos do Porto e do Douro. Os produtores contestam os limites impostos à produção pelo Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto.

 

A Ministra da Agricultura ou o CDS já se manifestaram ao lado e com as soluções ideais para os protestos destes vitivinicultores?

 

Na oposição tinham tanto empenho em defender a lavoura e agora, no Governo, nem há sinal dessa causa.

Tags: , ,
comentar

TGV: CDS quer mais esclarecimentos do ministro da economia
O CDS mantém a posição sempre defendida pelo partido, ou seja, o TGV não deve avançar neste momento

 

O CDS manifesta a oposição à construção do TGV, mas "neste momento". Veremos o que decidirá o Governo dentro de um mês, quando terá de informar o Governo espanhol da posição portuguesa face à alta velocidade. Então, teremos oportunidade de verificar o cumprimento ou não dado na campanha eleitoral, pelas duas formações opostas ao TGV: PSD e CDS.

 

Se calhar, dentro de um mês o CDS pode ser um forte entusiasta.

 

Todavia, há uma sensação, nesta coligação PSD/CDS, que nem está formosa nem segura.

 

Tags: , ,
comentar

Cavaco avisara, há umas semanas, que só dará posse a um Governo maioritário.

 

Tudo indica que o vencedor destas eleições não terá maioria absoluta, logo, a possibilidade de PSD e CDS, mesmo que atrás do PS em votos, juntos, possam obter maioria absoluta. E, em Democracia, não seria a primeira vez que os segundo e terceiro partidos mais votados formem Governo. O CDS já deu sinais de querer ascender ao Governo com o PSD, mesmo com a vitória socialista. Passos Coelho hoje disse que não estava interessado em ser Primeiro-Ministro, caso o PSD não vença as eleições. Mas, como sabemos, o dito hoje por Passos Coelho não é o certo amanhã.

 

Em suma, a escolha nestas eleições é clara: ou PS ou PSD/CDS. E sabe-se muito bem que Sócrates dá-nos muitas mais garantias do que Passos Coelho.

Tags: , ,
comentar

 

Esta é a primeira Motion Graphics 100% Portuguesa sobre política. Espero que gostem. Vejam. Partilhem. Agitem, pois o momento merece!

Tags: , , , , , , ,
1 comentário

Estive no Estádio José Alvalade a ver o jogo do SPORTING contra a Fiorentina e a imensa roubalheira do árbitro magiar.O jogador Marco Caneira, que é candidato a uma junta de freguesia pelo CDS, esteve em campo. Portanto é óbvio que estive a vigiar um candidato do CDS para enviar um relatório para o Largo do Rato. Em exclusivo mundial para o CC, deixo-vos cópia do relatório que enviei:

 

"Marco Caneira é um perigosíssimo candidato autárquico e, sem dúvida, um potencial sucessor de Paulo Portas.Alguém que joga tão mal assim só pode estar a encobrir a sua verdadeira profissão e os seus reais propósitos!"

Tags:
comentar

Paulo Portas manifestou inteligência ao escolher o antigo líder centrista, e que agora cessa funções como eurodeputado, Ribeiro e Castro, para ser o cabeça-de-lista do partido no Porto nas próximas legislativas. Além do reconhecimento político que presta a Ribeiro e Castro, Portas pretende unir o partido, estendendo a mão como antes não o fizera ao grupo que diverge da sua liderança. Basta recordar como há quatro anos foi "tratado" um histórico do CDS, e então pouco próximo de Portas, Narana Coissoró, convidado para encabeçar a lista de Faro, sem qualquer hipótese de ser eleito.

 

Por outro lado, com a saída de Nuno Melo, para o Parlamento Europeu, Portas apresenta, em Braga, um candidato com rótulo de derrotas num dos bastiões centristas: Telmo Correia.

 

Resta, ainda, saber se a apresentação de Ribeiro e Castro no Porto não se prende ao (auto?) afastamento de António Pires de Lima, cabeça-de-lista pelo círculo portuense há quatro anos, engrossando a fila dos outrora apoiantes incondicionais de Portas, como Nobre Guedes.

Tags:
comentar

 

Tags: , ,
1 comentário

"A Oposição em Portugal não tem no ADN a responsabilidade. Bloco e PCP são tão democráticos como o PS, o PSD ou o CDS, mas não estão disponíveis para governar no interesse comum".

 Paulo Baldaia, director da TSF, "Jornal de Notícias", 13-06-2009

 
 
 
E ver que o BE e o PCP tiveram um crescimento eleitoral, dá que pensar. Interrogo-me se não andamos por vezes a gozar uns com os outros e com isso a manter uma coligação de estruturas radicais e oportunistas que formaram o Bloco, e um Partido Comunista que mantém o mesmo discurso e quase sempre as mesmas caras. A propósito, já imaginaram o Bloco sem Louça, é que eu ainda não conheci outro rosto na sua liderança.
Tags: , , , ,
comentar

Depois de ler este texto do João, de duas uma, ou ele desconhece a história e as causas políticas do CDS, o que duvido, ou esquece-se, o que é mais plausível, de qual é um dos grandes pilares do partido fundado por Adelino Amaro da Costa, e que Francisco Lucas Pires tão bem estruturou. Caso contrário não escreveria o que redigiu acerca do projecto europeu, que bem parece um argumento da era Manuel Monteiro.

 

Talvez José Ribeiro e Castro fosse uma voz, como é, dentro do CDS, com autoridade para falar da história, causas e propostas europeias pelas quais a democracia-cristã se bateu em muitos Estados europeus, como em Portugal. Mas, como não é pessoa do agrado do líder, que ora é eurocrítico ora eurocalmo ora europassivo, dispensa-se e apresente-se quem nada apresenta. 

 

 

 

Tags:
comentar

Tentando, sem tempo, responder ao Carlos e ao Carlos, só me posso limitar a dizer que, em primeiro lugar, não fosse o cepticismo de alguns partidos como CDS-PP nessa Europa fora e a euforia Europeísta do início teria criado um projecto muito próximo daquele sonho federalista que Soares tentou impôr.Não fosse algum cepticismo e conservadorismo de partidos como o CDS e teríamos a embarcar em regras quase aceites tacitamente. Agora, que os tempos mudaram e que a construção e maturidade europeia é outra, disso não há dúvidas, e o CDS acompanhou, com aquilo que apelidam de incongruência, essa evolução. Mas no fundo, o CDS continua calmamente atento!

 

Quanto a Nuno Melo, sempre que fala sobre a crise na banca - que é a que lhe tem dado mais tempo de antena nos últimos tempos - ou sobre segurança, a crise, imigração, ou outro qualquer assunto, está a falar de Portugal e de Portugal na Europa. Não falar da Europa é andar no fait-divers que temos visto entre Rangel e Vital Moreira!

 

Mas eu com tempo, volto a explicar melhor. Só não queria deixar passar em branco.Talvez também seja bom acompanhar a partir de manhã o discurso de Nuno Melo não vá ele contrariar essa vossa ideia de vazio programático ou de conteúdo.

Tags: ,
1 comentário

Caro João,

 

Se há peditório para o qual nada dou, nem subscrevo, é o da linguagem baixa e sem respeito.

 

Quanto assunto que nos diz respeito, o da ausência de ideias e propostas europeias do CDS, acabas por evidenciar, como bem assinala o Carlos Santos, uma fuga à resposta. Ou melhor, não foges, pois na realidade, não há nada a apresentar. Nem uma única linha Nuno Melo apresentou até ao momento.

 

Se o CDS diz que não brinca aos políticos, e tem necessidade de manifestar isso (terá dúvidas quanto à validade da sua postura na sociedade?) estando em causa, como está, uma eleição europeia e sobre esta nada diz, o CDS só pode estar a brincar às políticas. 

Tags:
1 comentário

Para o Carlos Manuel Castro brincar às políticas deve ser brincar aos recados, às farinhas Maizena, às mordaças, às trocas de acusações sobre agressões, aos D.Quixote e outros tantos fait divers com que a pré-campanha nos tem brindado. 

 

Ora, o CDS não brinca assim e propõem-se a falar sério, como tem feito até agora enquanto oposição. O Carlos pode atacar as medidas, o conteúdo, as ideias que o CDS tem passado. Mas não pode dizer que elas não existem, caso queira manter a honestidade política na discussão. Depois de sexta, com o arranque da campanha, veremos se continua a dizer o mesmo!

Tags:
comentar

 

O CDS apresenta-se nestas eleições europeias expressando que "não brinca aos políticos".

 

Pelos vistos, brinca às políticas, pois sobre a UE Nuno Melo não expressou até ao momento uma única ideia ou proposta.

Tags:
comentar

Octávio Machado, candidato do CDS/PP à Câmara Municipal de Palmela.

 

Tags:
2 comentários

Manuela Ferreira Leite só aceita coligar-se com o CDS, de Paulo Portas, caso os dois partidos obtenham a maioria no Parlamento. A líder do PSD põe assim termo a uma polémica que surgiu após uma entrevista à SIC, em que uma resposta sua levou a pensar-se que admitia o bloco central

 

Depois de se atrapalhar com as palavras e criado um call center, Manuela Ferreira Leite esclareceu o que quer dizer: coligação só com o CDS. Isto é, quer uma reedição dos mesmos rostos do Governo que teve políticas falhadas, que desbaratou o País e deixou-o de tanga.

 

Em suma, Ferreira Leite quer o regresso a um passado que não deixa saudades nenhumas.

Tags: ,
4 comentários

Se os portugueses podem sentir orgulho de ter um Presidente da Comissão Europeia, à beira da reeleição - os militantes do PPD terão um sentimento de agrado redobrado, não deixa de ser confrangedor como o partido do Presidente da Comissão Europeia, a poucas semanas da importante eleição europeia, ainda não tenha um único nome para o Parlamento Europeu nem uma única causa.

A liderança de Ferreira Leite continua a demonstrar um vazio lamentável, para um partido que tem elevadas responsabilidades, tanto em Portugal como na UE.

Para a direita, PPD e CDS, que também não tem nenhum nome nem proposta, já se percebeu que as europeias são tema menor. Mas não são, como disse, e bem, Vital Moreira, pois este é um momento crítico e decisivo para a UE, dado o delicado momento em que nos encontramos.

Tags: ,
comentar

Existe solução para tudo, mesmo para a futura vaga que pode engolir o PP após a vitória de Pedro Passos Coelho no próximo Congresso do PPD, vejam lá este rapaz, incomensuravelmente melhor que a Sarah Palin, de certeza melhor que o Paulo Portas!

 

 

Tags:
1 comentário

Paulo Portas apresentou um e-mail enviado pela directora regional de Educação do Norte, Margarida Moreira, à presidente do conselho executivo agrupamento de escolas Território Educativo de Coura.  

No e-mail a que a Lusa teve acesso lê-se: «Sendo certo que muitos docentes não se aceitam o uso dos alunos nesta atitude inaceitável, acompanharemos de muito perto a defesa do bom nome da escola, dos professores, dos alunos e de toda uma população que muito tem orgulhado o nosso país pela  valorização que à escola tem dado».

A ser verdade é.....constrangedor!

Tags: , ,
2 comentários

A fazer fé na notícia do Sol (ver aqui), Santana Lopes vai ter a companhia de Bagão Félix na lista à CML.

Das duas uma, ou Lisboa na óptica da futura coligação de direita é vista como um pagode onde vale tudo, ou então têm mesmo uma fé muito grande para acreditarem que os lisboetas entraram num estado de insanidade total, que lhes permita esquecer a última aparição conjunta destes dois. Foi em 2005 e o País afundou. Lembram-se?

Tags: , , ,
comentar

O juiz Carlos Alexandre vai iniciar, no dia 3 de Março, a instrução do processo Portucale, com o interrogatório de 11 arguidos e a inquirição, como testemunhas, de políticos como os ex-ministros Costa Neves, Nobre Guedes e Telmo Correia.

A instrução do Portucale - processo de tráfico de influências e crimes conexos relacionado com o despacho que os três referidos ex-ministros do PSD e do PP assinaram, depois de derrotados nas legislativas de 2005, para viabilizar um empreendimento turístico do Grupo Espírito Santo (GES), em Benavente - só ocorre um ano e meio depois de emitido o despacho de acusação, porque houve uma tentativa de afastar o juiz Carlos Alexandre do caso.

Querem ver que agora vão abrir a caixa de Pandora?

 

Adenda: o caso SIRESP não foi ou ía ser reaberto também?

Tags: , ,
2 comentários

Têm sido muitos e justos os elogios que vou dispensando ao CDS. Como nem tudo podia ser bom, no melhor pano caiu hoje a nódoa, com a aprovação pelo órgão concelhio de Lisboa da abertura de caminho a uma coligação pré-eleitoral autárquica com o PSD. Paulo Portas justifica esta decisão como sendo a vontade dos militantes da Capital. Não engana ninguém, todos sabemos que hoje em dia no CDS só se passa o que o líder quer.

Pelos vistos contra o luxo que é o Grupo Parlamentar Centrista, a estrutura da Capital vive tempos de agonia, incapaz de reeditar a força que demonstrou no ano em que Paulo Portas avançou contra João Soares e o próprio Pedro Santana Lopes. Esta é uma postura medrosa e calculista. Peca pela superação do negativismo da própria realidade. Estou certo que com um candidato forte, algo que Telmo Correia não foi e Teresa Caeiro não é, o CDS poderia alcançar a vereação e ganhar massa crítica própria para as Legislativas. A ver vamos se esta coligação não terá reflexos nos resultados das Legislativas.

Tags: , , ,
3 comentários

“Qualquer pessoa reconhece que se Maria José Nogueira Pinto continuasse no partido facilmente o CDS teria eleito dois a três vereadores e até Carmona Rodrigues poderia ter apoiado a nossa candidatura, e essa dinâmica poderia levar o partido a conquistar de novo a autarquia lisboeta”

 

José Ribeiro e Castro pode ter poucos argumentos a favor do seu mandato à frente do CDS, mas tem um mérito que é inegável, o trabalho autárquico. A sua aposta em Maria José Nogueira Pinto, para continuar a trabalhar na Câmara de Lisboa e ser em 2009 a candidata democrata-cristã à capital do País, era uma aposta ganha e que traria mais apoios ao CDS, não só em Lisboa como no País, dado o trabalho de qualidade que desenvolveu na Vereação municipal de Lisboa, com repercussão nacional.

Fosse hoje Nogueira Pinto Vereadora e a ameaça, tanto para o PS, como para o próprio PPD, era bem real. A ex-Vereadora sujeitava-se a ganhar dois ou três mandatos, que poderiam ser decisivos para o futuro do Governo da cidade. Todavia, a lógica de Paulo Portas foi a inversa e diminuiu a intervenção do CDS, ao ponto da sua presença numa cidade que já comandou ser quase insignificante. 

Ribeiro e Castro sabia, sabe, que para o CDS subir e aumentar a sua base de apoio precisa de começar a trabalhar nas Autarquias para conquistar o País, como sabiamente Amaro da Costa disse.

Hoje, com a rendição a uma candidatura falhada do PPD à Câmara de Lisboa, o CDS acaba por se rebaixar ainda mais, ao ponto de uma coligação de direita acabar por favorecer mais o PS, do que qualquer um dos dois partidos.

O CDS preferiu o caminho fácil, e do desastre, em vez do trabalho.

Ribeiro e Castro sabe porque é que esta coligação não é um "orgulho", sobretudo para o CDS, que está em risco de perder mais do que o PPD, uma vez que este partido tem uma capacidade de regeneração maior.

Tags:
comentar

A candidatura de Pedro Santana Lopes à Câmara Municipal de Lisboa (CML) significa inevitavelmente um regresso deste ao local do desastre, a um passado que nos traz recordações do pior período vivido pelos lisboetas no pós 25 de Abril, caos, polémicas, escândalos, cartazes e campanhas cheias de custos mas vazias de obra ou conteúdo.

Servem de contraponto a estas tristes lembranças o elevado progresso introduzido pelo Partido Socialista (PS) nos mandatos do dr. Jorge Sampaio e do dr. João Soares, que implementaram em Lisboa projectos estruturantes a diferentes níveis, como é o caso da total erradicação das barracas, da Lisboa capital europeia da Cultura, da CRIL, do túnel da Av. João XXI, entre tantos e muito bons exemplos que revitalizaram e deram dignidade à capital...

Os seis anos de consulado do Partido Social Democrata (PSD) na CML, primeiro com Santana Lopes e depois com Carmona Rodrigues, ambos com passagens por Governos de funesta memória, resultaram num gigantesco buraco orçamental, numa ausência de obra, numa cidade parada, sem rumo e plantada de tapumes que cobriam vergonhas sem destino.
 

Tags: , , , , ,
comentar

Ontem ficou publicamente consumada a união do CDS com o PSD, com vista às eleições autárquicas de Lisboa, como se pode ler aqui. 

Honestamente não esperava outro cenário, uma vez que se repetem os mesmos rostos e posturas que num passado recente de uma união cínica, uniram esforços para claro prejuízo da cidade e dos lisboetas.

Tenho para mim, que o CDS é cada vez mais um partido a recibos verdes, sem doutrina, campo ou ética, à mercê das supostas melhores oportunidades, prestando-se a um papel de moribundo à mão e mercê do pior PSD de que há memória, como escreveu no passado fim de semana, Miguel Sousa Tavares, em artigo publicado no semanário "Expresso".

 

Também em Miguel Teixeira-Lx

 

 

Tags: , , , ,
6 comentários

Paulo Portas consolidou-se hoje como líder da oposição. Enquanto muitos se perdem em encontros na Aroeira e em horas a fio de permanência no sofá, assistindo à contínua verborreia de SIC e TVI, com Público, Sol e Expresso nas mãos, na esperança de ver o poder cair do céu aos trambolhões, Paulo Portas relança o que interessa: debate e construção de ideias. Desta vez trouxe um tema que, com o avançar da crise, ganhará mais destaque: a segurança. Fez o diagnóstico, lançou propostas e desafiou PS e PSD a trazerem as suas. Nove meses distante das eleições, era tradicional o CDS ter 4 a 5% das intenções nas sondagens. Por este tempo, e segundo o Expresso, anda próximo dos 10%. Não terá o PSD escolhido o alvo errado? O CDS demonstra mais substância para partido de poder que o próprio PSD. Destaco novamente o fantástico trabalho desempenhado pelo Grupo Parlamentar Centrista. Já a liderança do Partido segue imune a divisões internas, superou o Congresso Nacional e volta a marcar a agenda. De boa saúde este CDS.

Tags: ,
comentar

A comissão política concelhia, liderada por Orísia Roque, vai pôr à votação, em princípio por braço no ar, uma proposta para que o CDS-PP concorra em coligação com o PSD.

 

Com receio de não eleger nenhum vereador, o CDS trepa para as costas do PPD à espera que este lhe garanta, pelo menos, um lugar da próxima vereação da Câmara de Lisboa.

Recorde-se que o CDS, sem procurar desgastar a sua imagem, já obteve bons resultados com este método, quando em 2004, nas europeias, Barroso averbou uma pesada derrota nas urnas, mas o CDS manteve os seus dois eurodeputados.

Resta saber se o PPD está disponível para libertar um ou dois lugares elegíveis para o partido do Caldas.

 

Tags: , ,
comentar

Tags: , , ,
comentar

 

Confesso que entre um fim-de-semana calmo, dedicado ao descanso, em que nem sequer saí de casa e sem sobressaltos desportivos de grande importância, o tempo dedicado ao congresso do PP, acabou por ser mais do que inicialmente esperava.

 

A primeira impressão com que fiquei foi que ao nível de imagem este Congresso fora bem estudado. Estava perante um mero exercício de retórica para obter algum espaço televisivo e não para assistir a debates. Aliás, as directas no PP, tornaram este Congresso nisso mesmo: comunicação externa e não debate interno. Ao referir-se ao debate interno como “minudências” e a referir a necessidade de dirigir este Congresso aos portugueses, o Paulo passou o atestado de comparência, e não de participação, aos militantes do PP.

 

Do conteúdo político do mesmo nada de novo…muitas palavras contra os socialistas, muitas frases entoadas em tom de falsete e de firmeza pífia, muita demagogia, enfim nada que não se esperasse do pior dos populismos, que depende destes momentos para sobreviver. Não encontrei melhor frase para descrever a liderança e sobretudo a postura de Paulo Portas, que a proferida por um dos seus amigos1, no caso Filipe Anacoreta Correia, exigindo a “Primavera” pois não bastava “ser uma andorinha mediática”.

 

Registe-se a contradição que Paulo Portas comete, oscilando entre o homem de Estado e o político cuja sobrevivência depende de ter espaço de manobra, para fazer uma leitura vitoriosa dos resultados de algumas eleições que se aproximam.

 

Este facto foi por demais evidente neste Congresso.
O Paulo muitas vezes puxa os galões do tempo em que foi Ministro da Defesa. Puxa naquilo que lhe interessa. Sobre submarinos, 60.000 digitalizações e acordos na base das Lages, nem uma palavra. Sobre a proporcionalidade de Ministros oriundos do PP e escândalos em que os mesmos se viram envolvidos, nem uma palavra.
Gosta de passar uma imagem de homem de Estado, porque sabe que o seu partido, e nunca a palavra “seu” fez tanto sentido, definha sem o poder. Definha sobretudo à medida que as três letrinhas mágicas, CDS, se vão afastando cada vez mais das outras duas, PP.
E é essa necessidade de sobreviver, de ser uma muleta, ou uma muletazinha, que o fez pedir aos portugueses, em pleno Congresso, que “castigassem os socialistas” com o seu voto já nas eleições europeias, que considerou “uma primeira volta das legislativas”.
O sentido de Europa continua a ser o mesmo do passado, pelos lados do Largo do Caldas. As eleições europeias na perspectiva do PP só servem para uns quantos lugares para alguns dos seus militantes. Que entregarão o seu dizimo a um partido ávido de liquidez. Neste aspecto, a visão da Europa que o PP tem é muito semelhante à visão da Europa que o PCP tem. Em simples coisas confirma-se que afinal os extremos tocam-se mesmo.
Se fossem coerentes…não apresentavam listas. Mas o vil metal fala mais alto…


Confundir eleições europeias com as legislativas, não só é um insulto para os portugueses, como revela aquilo que os Querubins de Paulo Portas, tentam desesperadamente disfarçar: que o sentido de Estado que Paulo Portas tanto proclama, se resume a lugares, coligações, retórica de frases curtas e uma atroz incoerência.

 

Estranho numa altura em que, quem ousa criticar a crítica fácil ao Governo de José Sócrates, seja apelidado de Jeová, esquecendo-se estes Querubins de olhar para o interior do seu partido.
Onde o Paulo é acusado de ter reduzido o CDS-PP ao seu próprio gabinete no Largo do Caldas.
Onde o debate interno e as críticas provenientes da oposição são classificadas de “minudências”.
O Paulo foi eleito com 95% dos votos dos militantes, e apresentou a sua própria Proposta de Orientação Política, Económica e Social. As directas no PP, foram castradoras das restantes POPES. De resto Pires de Lima, levantou uma questão, após se ter referido a este tema: “Alguém pensa que o Dr. Paulo Portas vai sair daqui para praticar uma estratégia que não é a sua?”. Claro que não. Isso é treta democrática. E o que se quer é julgamentos sumários. Pena a Celeste Cardona quando era Ministra da Justiça, não se ter lembrado disto…

 

Os Querubins continuam obstinados a guardar a “sua” árvore da vida.
Apontam colericamente o dedo a tudo o que vem dos socialistas.
Apelidam de fundamentalistas e de Jeovás quem ousa defender aquilo que todos decidiram atacar em 2009. É assim a política. São assim as regras do jogo.
Mas só lhes prevejo voos errantes e de rumo incerto, com as suas frágeis asinhas.
Aliás Anacoreta Correia depois do Paulo ter avisado que não queria perder tempo com o debate interno do partido, lançou a questão: “Que viemos cá fazer se as propostas estão anunciadas e as medidas adoptadas?”.
Não obteve resposta ao que parece. Mas eu diria: vieram ver os Querubins a sorrirem candidamente para o seu líder.

 

1 Escreveria camaradas caso me estivesse a referir a partidos de esquerda, ou companheiros no caso do PSD, mas foi assim que Paulo Portas se referiu sempre aos congressistas, “meus amigos e minhas amigas”.

Tags: ,

Pesquisar
 
Contactos
camaradecomuns@sapo.pt

Editorial

Visitantes online

Comentários Recentes
Para mim casamento deve ser entre um homem e uma m...
Caro RFCom a modéstia com que foi escrito, podes t...
N sei q espirito deus aspirou pr a Africa. este co...
Mocambique està mais que tudo isto, sinto d...
e há cartas que nunca chegam.
Aguem colocou esta carta excelente na página de PP...
Τambém gosto de brincar aos pobrezinhos.NUNCA MAIS...
Τambém gosto de brincar aos pobrezinhos.NUNCA MAIS...
Everdade este pais precisa de um bom governador k ...
Casino EstorilA falta de escrúpulos veio para fic...
Tags

todas as tags

Links

Esquerda

5 dias
A barbearia do senhor Luís (Luís Novaes Tito)
A Busca pela Sabedoria (Micael Sousa)
A Forma e o Conteúdo (José Ferreira Marques)
A Forma Justa (Tiago Tibúrcio)
A Linha-Clube de Reflexão Política
A Nossa Candeia (Ana Paula Fitas)
Absorto (Eduardo Graça)
Activismo de Sofá (João R. Vasconcelos)
Adeus Lenine
Arrastão
Aspirina B
Banco Corrido (Paulo Pedroso)
Bicho Carpinteiro
Câmara Corporativa
Câmara de Comuns
Cantigueiro
Causa Nossa
Cortex Frontal
Defender o Quadrado (Sofia Loureiro dos Santos)
Der Terrorist (José Simões)
Entre as brumas da memória (Joana Lopes)
Esquerda Republicana
Hoje há conquilhas (Tomás Vasques)
Irmão Lúcia (Pedro Vieira)
Jovem Socialista
Jugular
Ladrões de Bicicletas
Les Canards libertaîres
Léxico Familiar (Pedro Adão e Silva)
Loja de Ideias
Luminária
Machina Speculatrix (Porfírio Silva)
Maia Actual
Mãos Visíveis
Mário Ruivo
Metapolítica (Tiago Barbosa Ribeiro)
Minoria Relativa
O Grande Zoo (Rui Namorado)
O Jumento
O Povo é Sereno
Raiz Política
Rui Tavares
Spectrum
Vias de facto
Vou ali e já venho (André Costa)
Vozes de Burros

Direita

31 da Armada
4R – Quarta República
A Arte da Fuga
A Douta Ignorância
A Origem das Espécies (Francisco José Viegas)
Abrupto (José Pacheco Pereira)
Albergue Espanhol
Alunos do Liberalismo
Blasfémias
Causa Monárquica (Rui Monteiro)
Clube das Repúblicas Mortas (Henrique Raposo)
Corta-fitas
Delito de Opinião
Era uma vez na América
Estado Sentido
Geração Rasca
Herdeiro de Aécio
Macroscópio
Menino Rabino (Marco Moreira)
Mercado de Limões (Tiago Tavares)
Minoria Ruidosa (Miguel Vaz)
O Cachimbo de Magritte
O Diplomata (Alexandre Guerra)
O Insurgente
Ordem Natural (Rui Botelho Rodrigues)
Palavrossavrvs Rex (Joaquim Carlos Santos)
Portugal Contemporâneo
Portugal dos Pequeninos
Psicolaranja
República do Caústico (João Maria Condeixa)
Rua da Judiaria
Suction with Valcheck
União de Facto

Outros

A Baixa do Porto (Tiago Azevedo Fernandes)
A Cidade Deprimente
A Cidade Supreendente
A Terceira Noite
Clube dos Pensadores (Joaquim Jorge)
De Rerum Natura
É tudo gente morta
Horas Extraordinárias (Maria do Rosário Pedreira)
Notas ao Café
O Diplomata
Arquivo

Abril 2015

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008