Quinta-feira, 12 de Fevereiro de 2009

O Blog do Dr. Gerry McCann foi actualizado no 650º dia desde o desaparecimento da Madeleine e 3 meses após o último post, cujo conteúdo apresentava o agradecimento por mais donativos resultantes de uma acção em Liverpool.

O facto  de reconhecer que anda ocupadíssimo não é estranho. Estranho seria o contrário! Contudo, reafirmo a ideia de que os espaçamentos cada vez maiores entre posts e, já agora, a ASSUMIDA, repito, ASSUMIDA menor cobertura mediática podem cumprir o objectivo que o Dr McCann sugere (trabalhar, finalmente, senão tarde demais, na sombra, na busca de Madeleine para que estes factores não constituam perturbação) ou, então, não mais constituir do que uma estratégia de dessenssibilização com vista à extinção do fenómeno Maddie. Perdoe-me o Dr. McCann, mas estou mais inclinado para a segunda hipótese. Uma análise das datas dos posts revelam-nos que estes podem, muito bem, constituir, "respostas a recados". Curiosamente, é, também, nestas alturas que se ouve com menos frequência o Senhor Clarence Mitchell. Contudo, a sua intervenção e, sobretudo, o seu estilo  são perfeitamente reconhecíveis em blogs cujos posts são assinados por personagens fictícias (Chamar-lhe-ia contra-informação, um aspecto da espionagem bem conhecido).

Reconhecer que tem uma pequena equipa a trabalhar arduamente, Dr. McCann, só pode fazer sentido se quiser transmitir a ideia de que se mais não foi feito deve-se à exiguidade de meios. Contudo, este argumento compromete as despesas efectuadas pelo fundo Madeleine. Em primeiro lugar porque se a equipa é exígua, os gastos indicam que é muito cara. Em segundo lugar, se é muito cara, deve ser, supostamente, muito competente. Em terceito lugar, se é tão competente, já deveria ter chegado a algum resultado que não ao que chegou: NADA!

 

O Dr. McCann refere a sua visita a Lisboa, mantendo os mesmos argumentos. Veio reunir-se com o seu advogado e com o embaixador inglês em Portugal para avaliar o que ainda pode ser feito para descobrir Madeleine, apelando a um esforço conjunto das autoridades. Reitero o que afirmei em post anterior:

a) O Senhor não sabe na integra, segundo admite, o que já foi feito; concentre-se nisso, por favor, antes de querer saber o que se pode vir a ser feito;

b) Já sabemos que reuniu com o seu advogado e com  o senhor embaixador; assuma, por favor, que houve um quarto elemento e identifique-o;

c) Assuma o real objectivo que o trouxe a Lisboa, extemporaneamente; e, finalmente,

d) para um esforço conjunto com as autoridades, convença os seus amigos a realizarem a reconstituição da noite do desaparecimento da sua filha e peça à Dra. Kate para responder às 48 questões que deixou por responder.

Quanto à alegria que os gémeos estão a proporcionar, devo dizer-lhe que me parece o argumento mais genuino que li no seu post. Ver os filhos crescer é das coisas mais maravilhosas que podemos experienciar. Por isso mesmo, tire-os do meio das confusões e dos pactos. Sabe por que razão eles perguntam por Maddie diariamente? Porque, não entendem o conceito de morte como algo irreversível. Porque ninguém fez um esforço para traduzir esse conceito para a sua compreensibilidade. Porque, ao invés, tentam manter uma ilusão que os factos desmentem ou, pelo menos, permitem classificar como altamente improvável (não gosto do termo impossível, mas reafirmo a metáfora do Euromilhões). Os Gémeos sofrem um "banho" de Madeleine que intoxicará a sua existência como pessoas. Por favor, retire-os desse "banho" e deixe-os lidar com a perda de sua irmã. Eles não terão recordação de Maddie enquanto pessoa. Deixe-os construir uma imagem confortável de uma irmã que já tiveram e que, ainda que não volte, fará sempre parte deles. Uma parte boa. Por favor, entenda isto. QUe Diabo, o Senhor, além de pai, é Médico!

Agradecendo as respostas do seu post, para a próxima diga-nos algo que ainda não saibamos e, por favor, não se limite a cumprir calendário.

 

Tags:
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




Pesquisar
 
Contactos
camaradecomuns@sapo.pt

Editorial

Visitantes online

Comentários Recentes
Para mim casamento deve ser entre um homem e uma m...
Caro RFCom a modéstia com que foi escrito, podes t...
N sei q espirito deus aspirou pr a Africa. este co...
Mocambique està mais que tudo isto, sinto d...
e há cartas que nunca chegam.
Aguem colocou esta carta excelente na página de PP...
Τambém gosto de brincar aos pobrezinhos.NUNCA MAIS...
Τambém gosto de brincar aos pobrezinhos.NUNCA MAIS...
Everdade este pais precisa de um bom governador k ...
Casino EstorilA falta de escrúpulos veio para fic...
Tags

todas as tags

Links

Esquerda

5 dias
A barbearia do senhor Luís (Luís Novaes Tito)
A Busca pela Sabedoria (Micael Sousa)
A Forma e o Conteúdo (José Ferreira Marques)
A Forma Justa (Tiago Tibúrcio)
A Linha-Clube de Reflexão Política
A Nossa Candeia (Ana Paula Fitas)
Absorto (Eduardo Graça)
Activismo de Sofá (João R. Vasconcelos)
Adeus Lenine
Arrastão
Aspirina B
Banco Corrido (Paulo Pedroso)
Bicho Carpinteiro
Câmara Corporativa
Câmara de Comuns
Cantigueiro
Causa Nossa
Cortex Frontal
Defender o Quadrado (Sofia Loureiro dos Santos)
Der Terrorist (José Simões)
Entre as brumas da memória (Joana Lopes)
Esquerda Republicana
Hoje há conquilhas (Tomás Vasques)
Irmão Lúcia (Pedro Vieira)
Jovem Socialista
Jugular
Ladrões de Bicicletas
Les Canards libertaîres
Léxico Familiar (Pedro Adão e Silva)
Loja de Ideias
Luminária
Machina Speculatrix (Porfírio Silva)
Maia Actual
Mãos Visíveis
Mário Ruivo
Metapolítica (Tiago Barbosa Ribeiro)
Minoria Relativa
O Grande Zoo (Rui Namorado)
O Jumento
O Povo é Sereno
Raiz Política
Rui Tavares
Spectrum
Vias de facto
Vou ali e já venho (André Costa)
Vozes de Burros

Direita

31 da Armada
4R – Quarta República
A Arte da Fuga
A Douta Ignorância
A Origem das Espécies (Francisco José Viegas)
Abrupto (José Pacheco Pereira)
Albergue Espanhol
Alunos do Liberalismo
Blasfémias
Causa Monárquica (Rui Monteiro)
Clube das Repúblicas Mortas (Henrique Raposo)
Corta-fitas
Delito de Opinião
Era uma vez na América
Estado Sentido
Geração Rasca
Herdeiro de Aécio
Macroscópio
Menino Rabino (Marco Moreira)
Mercado de Limões (Tiago Tavares)
Minoria Ruidosa (Miguel Vaz)
O Cachimbo de Magritte
O Diplomata (Alexandre Guerra)
O Insurgente
Ordem Natural (Rui Botelho Rodrigues)
Palavrossavrvs Rex (Joaquim Carlos Santos)
Portugal Contemporâneo
Portugal dos Pequeninos
Psicolaranja
República do Caústico (João Maria Condeixa)
Rua da Judiaria
Suction with Valcheck
União de Facto

Outros

A Baixa do Porto (Tiago Azevedo Fernandes)
A Cidade Deprimente
A Cidade Supreendente
A Terceira Noite
Clube dos Pensadores (Joaquim Jorge)
De Rerum Natura
É tudo gente morta
Horas Extraordinárias (Maria do Rosário Pedreira)
Notas ao Café
O Diplomata
Arquivo

Abril 2015

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008