Sexta-feira, 10 de Outubro de 2008
comentar

Por Paulo Sargento

 

O caso “Maddie” entrou numa espécie de blackout há já algum tempo. Mais precisamente, Gerry McCann calou o seu blog há, aproximadamente, 2 meses (o seu último post data de 14 de Agosto) depois de se ter afirmado surpreendido pelo facto dos media terem tido acesso ao processo, em consequência do seu arquivamento que pôs fim ao segredo de justiça e, tembém, ao seu estatuto de arguido, bem como ao referente à sua mulher e ao Sr. Robert Murat. Bom, esta surpresa demonstrada é, ela própria, de facto, surpreendente, na medida em que, para além de ter sido anunciada previamente, parecia óbvio que assim fosse, ou não fôra sempre a mediatização do caso um dos desígnios perseguidos pelos McCann, em prol do não esquecimento da sua filha. É uma surpresa que surpreende na medida em que não era esperado que constituísse surpresa, muito menos para Gerry McCann.

 

E, que dizer do Sr. Clarence Mitchell? Sim, daquele que, muitas vezes prolixamente, usou o verbo fácil para manter o caso na ribalta mediática? Ou, simplesmente, para ameaçar meio-mundo com processos-crime por difamação, pré-exigindo chorudas indemnizações? Tem estado muito calado, o spin doctor. Mas, não me parece que seja por não ter o que dizer. Será que, inteligentemente reconheça-se, tanto sabe quando falar, quanto sabe quando calar?

 

Este limbo em que o caso entrou pode ter muitas leituras. Escolhi duas, entre muitas.

 

A primeira, como referi em post anterior, pode significar que o silêncio se deve ao facto de, neste momento, passada a euforia da guerrilha pós-arquivamento, o longo processo está, finalmente, a ser consultado e estudado com a ponderação e com o rigor que tal tarefa exige, no intuito de programar as acções que se seguem. Mas, que se saiba, nenhuma diligência foi feita no sentido da reabertura do processo. Portanto, por que razão terá de ser estudado? As ameaças serão concretizadas? Será esse o objectivo? Ou simplesmente, a promessa feita pela famosa agência privada de detectives  (que, segundo o site oficial www.findmadeleine.com , continua a ser a principal fonte de investigação do caso e os ridiculos retratos-robot continuam a figurar como as produções científicas mais eficazes, resultantes de uma autêntica fortuna gasta através do fundo para descobrir Maddie) vai concretizar-se com um ano de atraso e vão encontrar a menina até ao Natal de 2008?

 

A segunda, como também já referi, enquadra-se numa tentativa de extinção do interesse mediático. Tecnicamente, um fenómeno que começa a ter quebra de notoriedade tende a extinguir-se. As grandes marcas, por mais famosas que sejam, fazem sempre o possível e o impossível por aumentar ou, pelo menos, manter a sua notoriedade. Os investimentos em publicidade, mesmo em época de crise económica, são tidos como prioridade das grandes marcas. Quando tal não acontece a extinção é inevitável! Todos nós sabemos disso!

 

Mas será Maddie uma grande Marca? Devemos acreditar num fenómeno de Marketing Relacional?

 

Presumo que sim. Já o afirmei em diversas ocasiões, quando me referi aos tablóides.

 

Mas, atentemos ao site oficial: www.findmadeleine.com

 

De um modo muito discreto, aparece uma online store, acima do separador dos contactos (contact us) do referido site, no canto superior direito da webpage. Se clickarmos nessa online store deparamos com três produtos: wallpapers para telemóveis (grátis), pulseiras look for Maddie de tamanho universal (2 Libras cada) e T-Shirts para crianças e adultos, com vários tamanhos já esgotados (6,5 Libras cada).

 

Que quer isto dizer? Se lermos a descrição dos produtos, ficamos sem dúvidas de que se trata de uma estratégia de Marketing terrivelmente simples, quase kitsch. Reparemos nas seguintes frases: “Polyester/Cotton High Quality T Shirt” (Camisola de Algodão e Polyester de alta qualidade), “These shirts are made to a very high quality and have the text and picture printed directly onto the material” (estas camisolas são fabricadas com alta qualidade e têm a fotografia e o texto impressos no próprio tecido) ou “Good quality wristbands to keep reminding you about Madeleine” (Pulseiras de boa qualidade para que continue a lembrar-se de Madeleine).

 

Atentemos. Não se trata de um fundo, ou de donativos, porque para estes também existem ligações e separadores bem visíveis. Trata-se de um catálogo de produtos para venda. Exactamente! Trata-se de um catálogo de produtos para venda.

 

Por mais que tente entender o desespero e a necessidade de dinheiro para continuar, presumíveis, investigações, levadas a cabo por agências que ainda nada mostraram, devo qualificar, no mínimo, de mau gosto o que acabo de descrever. E fico-me por aqui, pelo menos por hoje.

 

Existem Silêncios Ensurdecedores quando se tenta Extinguir a Notoriedade de uma Marca.

 

8 comentários:
De astro a 12 de Outubro de 2008 às 13:09
Bom dia, esta 'online store' do site oficial www.findmadeleine.com originou milhares de comentários em blogs, message boards e chat rooms no mundo inteiro, logo aquando do seu aparecimento. A indignação foi global - prova irrefutável de que o bom-gosto e a dignidade, afinal, não só não morreram, mas são transversais à espécie humana, ignorando as distinções sociais e culturais que os McCann tanto gostam de utilizar para justificar os seus comportamentos e atitudes.

Bem-haja pelo trabalho que tem desenvolvido, e pelo discurso claro, directo e sem 'papas na língua'.



De Paulo Sargento a 12 de Outubro de 2008 às 17:21
Bom Dia e muito obrigado pelo seu comentário. Na realidade, continuar com a Fundação e os donativos já me parece questionável, tendo em vista a eficácia que tal tem produzido, a todos os níveis. Nem sequer ao nível das principais organizações que se preocupam com a procura de crianças desaparecidas houve quaisquer mudanças visíveis. Mas, continuar a vender produtos com o nome e face de uma criança, daquela forma, parece-me, no mínimo, mau gosto e atentatório à sua memória e imagem. Claro que se percebe que o Maketing relacional é uma ferramenta muito poderosa. Até porque pode funcionar, paradoxalmente, para desculpar o silêncio e a tentativa de extinção do fenómeno. Extertores diferentes constituem aqueles que os tablóides, como o The Sun, têm, amiúde, deixado transparecer. Só falta dizer que se a PJ não existisse a Maddie nunca tinha desaparecido. O insuspeito e reconhecido Dr José Manuel Anes já desmentiu a entrevista e tenciona processar o periódico. Saudações e bem haja pelo que tem feiro, Astro.


De Joana Morais a 12 de Outubro de 2008 às 18:45
Caro Paulo, traduzido aqui : http://joana-morais.blogspot.com/2008/10/maddie-noisy-silence-or-extinct.html

Obrigada.

J.M.


De Cláudia a 15 de Outubro de 2008 às 00:42
Uma perguntinha aqui da cachopa que como é do interior é capaz de ser algo saloia: então os senhores McCann não estavam caladinhos por causa do terceiro mundista segredo de justiça? Então mas fui eu que sonhei ou eles já deixaram de ser arguidos há uns tempos? Já podem falar, certo? Ou será que se começarem a falar sem as questões pré aprovadas, já não vendem mais pulseirinhas e t-shirts com o rosto da pobre Madeleine que nunca tinha sido Maddie, mas que afinal até era?

Obrigada, Dr Paulo Sargento, pelo que tem dito e pela forma como o tem dito.


De Paulo Sargento a 19 de Outubro de 2008 às 15:02
Muito obrigado pelo seu comentário. Na verdade, o Dr. Gerry McCann recomeçou a postar no seu blog. Timings interessantes, sem dúvida.


De Cláudia a 19 de Outubro de 2008 às 15:06
Caro Dr Paulo Sargento, tenho cá para mim, que alguém contratou um tradutor de Português para aqueles lados 24/7. :-)
Ainda dizia a outra excelentíssima autora que não há coincidências...


De joana a 24 de Novembro de 2008 às 20:16
muito bem escrito professor, é realmenet impressionante...enfim...


De Médieri a 14 de Abril de 2009 às 14:46
Boa Tarde, apenas umas dúvidas simples,...como raro que é no nosso país o fiéis terem a chave da igreja pertencente, como é que é possível os Mccan terem assim logo esta facilidade, com a igreja da praia da luz e agora pergunto, porquê?
Seria para depois poder rezar fielmente ou terem ocultado o corpo?
Sim porque "universalmente" as igrejas são espaços sagrados logo, seguros para este tipo de situações,...na miha opinião,...a igreja devia ser investigada, de uma ponta á outra, do exterior ao interior, porque só assim eles poderiam manter um corpo durante 23 dias até alugarem o carro onde a voltaram a transportar para o desaparecimento....digo o que disserem,...para mim, este caso só não se resolve porque há muitos interesses em redor, a menina pode ter morrido acidentalmente, mas não deixa de ser uma negligência e os Mccan têm poderes suficientes para não virem a ser punidos por isso.

Adorava ver isto resolvido sinceramente, pelo descanso da alma da pobre Maddie.
Investiguem a Igreja da luz!!!!!!!!!!!!


Comentar post

Pesquisar
 
Contactos
camaradecomuns@sapo.pt

Editorial

Visitantes online

Comentários Recentes
Para mim casamento deve ser entre um homem e uma m...
Caro RFCom a modéstia com que foi escrito, podes t...
N sei q espirito deus aspirou pr a Africa. este co...
Mocambique està mais que tudo isto, sinto d...
e há cartas que nunca chegam.
Aguem colocou esta carta excelente na página de PP...
Τambém gosto de brincar aos pobrezinhos.NUNCA MAIS...
Τambém gosto de brincar aos pobrezinhos.NUNCA MAIS...
Everdade este pais precisa de um bom governador k ...
Casino EstorilA falta de escrúpulos veio para fic...
Tags

todas as tags

Links

Esquerda

5 dias
A barbearia do senhor Luís (Luís Novaes Tito)
A Busca pela Sabedoria (Micael Sousa)
A Forma e o Conteúdo (José Ferreira Marques)
A Forma Justa (Tiago Tibúrcio)
A Linha-Clube de Reflexão Política
A Nossa Candeia (Ana Paula Fitas)
Absorto (Eduardo Graça)
Activismo de Sofá (João R. Vasconcelos)
Adeus Lenine
Arrastão
Aspirina B
Banco Corrido (Paulo Pedroso)
Bicho Carpinteiro
Câmara Corporativa
Câmara de Comuns
Cantigueiro
Causa Nossa
Cortex Frontal
Defender o Quadrado (Sofia Loureiro dos Santos)
Der Terrorist (José Simões)
Entre as brumas da memória (Joana Lopes)
Esquerda Republicana
Hoje há conquilhas (Tomás Vasques)
Irmão Lúcia (Pedro Vieira)
Jovem Socialista
Jugular
Ladrões de Bicicletas
Les Canards libertaîres
Léxico Familiar (Pedro Adão e Silva)
Loja de Ideias
Luminária
Machina Speculatrix (Porfírio Silva)
Maia Actual
Mãos Visíveis
Mário Ruivo
Metapolítica (Tiago Barbosa Ribeiro)
Minoria Relativa
O Grande Zoo (Rui Namorado)
O Jumento
O Povo é Sereno
Raiz Política
Rui Tavares
Spectrum
Vias de facto
Vou ali e já venho (André Costa)
Vozes de Burros

Direita

31 da Armada
4R – Quarta República
A Arte da Fuga
A Douta Ignorância
A Origem das Espécies (Francisco José Viegas)
Abrupto (José Pacheco Pereira)
Albergue Espanhol
Alunos do Liberalismo
Blasfémias
Causa Monárquica (Rui Monteiro)
Clube das Repúblicas Mortas (Henrique Raposo)
Corta-fitas
Delito de Opinião
Era uma vez na América
Estado Sentido
Geração Rasca
Herdeiro de Aécio
Macroscópio
Menino Rabino (Marco Moreira)
Mercado de Limões (Tiago Tavares)
Minoria Ruidosa (Miguel Vaz)
O Cachimbo de Magritte
O Diplomata (Alexandre Guerra)
O Insurgente
Ordem Natural (Rui Botelho Rodrigues)
Palavrossavrvs Rex (Joaquim Carlos Santos)
Portugal Contemporâneo
Portugal dos Pequeninos
Psicolaranja
República do Caústico (João Maria Condeixa)
Rua da Judiaria
Suction with Valcheck
União de Facto

Outros

A Baixa do Porto (Tiago Azevedo Fernandes)
A Cidade Deprimente
A Cidade Supreendente
A Terceira Noite
Clube dos Pensadores (Joaquim Jorge)
De Rerum Natura
É tudo gente morta
Horas Extraordinárias (Maria do Rosário Pedreira)
Notas ao Café
O Diplomata
Arquivo

Abril 2015

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008