Quinta-feira, 26 de Abril de 2012
1 comentário

 

Um deputado regional madeirense diz que há ministros do actual Governo que deveriam ser investigados. Investigue-se já a séria e grave acusação do rapaz!

 

Um deputado regional madeirense diz que o povo da Madeira deverá lutar pela independência. Investigue-se a fundo as declarações ou então o governo da república assuma de vez se quer dar a (tal) independência solicitada, em ocasiões de especial necessidade ou aperto, pelos barões da Madeira!

 

O deputado regional madeirense do PSD, lider da JSD Madeira, que lançou tão COLOSSAL ataque ao governo PSD/CDS, esqueceu-se apenas de pedir desculpas pelas décadas de (rumores de) falcatruas, (alegações de) roubo, (noticias de) asfixia democratica, (denúncias de) usurpação de meios e fundos do povo para (alegado) usufruto e beneficio duma (suposta) elite sanguessuga que acha (nitidamente) "piada" a representantes eleitos andarem ébrios em figuras tristes pelo meio da rua e a atirar petardos ou "very-lights" contra edifícios durante a madrugada. Relembre-se o moço destes factos!

 

Se tudo isto fosse apenas uma piada, ainda assim era muito triste para um povo que tenta sobreviver esmagado por cortes e reduções, eliminação de direitos e despedimentos.

 

Mas não, é uma realidade nojenta cuja factura parece que ultrapassa oito mil milhões de euros.

 

 

Terça-feira, 24 de Abril de 2012
1 comentário

A SIC Noticias esta neste momento a transmitir um fórum, Opinião Pública, sobre as comemorações do 25 de Abril.

Para comentar a efeméride convidou um sociólogo barra politólogo que responde pelo nome de José Bourdain.

A escolha, sem dúvida regida por critérios de independência, isenção e imparcialidade, movida apenas pelo desejo de informar e promover o debate e discussão, tem um pequenino problema. José Bourdain coleciona atoardas como areia na praia e muda de opinião mais vezes do que de camisa.

Este iluminado, que se autodenomina como patriota, escreveu em 2009 uma peça intitulado "Divisão de Portugal em 2 países Independentes" onde regurgita pérolas como:

 

“Portugal é hoje um país supostamente democrático (eu chamar-lhe-ia antes um regime de bandalheira) e que se auto intitula de moderno.

Parte dessa modernidade prende-se com ideias dos partidos da esquerda portuguesa (PS, PCP e BE): casamento homossexual; despenalização e desculpabilização do crime e da vigarice; menos autoridade para as forças policiais; quanto mais imigração melhor; tirar cada vez mais a quem trabalha para distribuir por mandriões que não querem trabalhar; carregar os cidadãos de impostos para depois distribuir a riqueza dando casa a imigrantes e alguns portugueses (mas poucos) quando o cidadão que paga impostos, se quiser uma casa, tem de se endividar; justiça só para alguns; menos carga horária de trabalho e uma proteção excessiva dos trabalhadores – a qual de tão exagerada que é só cria desemprego; facilitismo exponencial na vida em geral que inicia bem cedo, em particular nas escolas, desrespeito e falta de educação; etc, etc.”

 

Ou ainda:

 

“Se o leitor analisar atentamente os resultados eleitorais desde o regime de bandalheira em que vivemos após o 25 de Abril de 1974, poderá verificar que, em termos eleitorais, Portugal está dividido em 2: A Direita tem mais votos a Norte e a Esquerda mais votos a Sul. Isto é, dos Distritos de Lisboa, Santarém e Castelo Branco (incluídos) para baixo temos um País de Esquerda; a partir de Leiria (incluída) para Norte temos um País de Direita.
Assim, proponho que se divida o País em 2: Um a que chamaremos de Portugal – o genuíno, com gente que sente orgulho no seu passado e em ser Português – o qual será o Norte de Portugal juntamente com o Arquipélago da Madeira; o outro chamem-lhe o que quiserem (eu sugiro bandalheira da Ibéria) – o qual será parte do Centro e todo o Sul de Portugal juntamente com o Arquipélago dos Açores.
Estou em crer, que a concretizar-se esta minha sugestão, teríamos um Portugal rico, com um povo civilizado e próspero, contrastando com o país do ex-Portugal do Sul, miserabilista e a passar fome. É que não tenhamos dúvidas de que são uma pequena parte de Portugueses que trabalham muito e não enriquecem, pois estão a sustentar aqueles que tudo querem mas que nada fazem; à excepção de vivem às custas dos que se esforçam.”

 

Compreendo melhor a enxuarrada de chamadas eivadas de ódio e fervor pseudo-nacionalista, o "jeito" de um "salazar é que fazia falta em cada esquina" que atolou hoje forum,o travo a "ressabiamento de 24 de Abril", a aragem bafienta de  "a esquerda roubou isto e aquilo" (como se falassemos do Jardim da Madeira), o sentimento pequeno-fascista ou mini-ditador que inundou o palco montado pela SIC Noticias com o senhor José Bourdain.

O CDS-PP não tem a culpa de ter um militante assim, mas quem o convidou para comentar o 25 de Abril sabia precisamente o que estava a "encomendar". Quem o convidou sabia que esta a convidar alguém que exibe esta prosa na pagina 16 da sua moção ao Congresso do CDS-PP:

"Expulsar os imigrantes ilegais e convidar a sair aqueles que não têm qualificações e não conseguem obter emprego ou que cometem actos ilícitos".

 

Parabéns SIC Noticias....

 

Segunda-feira, 23 de Abril de 2012
comentar
 

Mais um post da Helena Matos (com este são 250 mil) a queixar-se que os seus colegas jornalistas não escrevem como ela acha que deviam escrever…

Quinta-feira, 19 de Abril de 2012
comentar

Quando um partido esta no Governo, tudo se movimenta em função desse planeta gigante, dessa colossal força gravitacional, chamada exercício do poder cumprindo a missão de servir o Povo.Ainda bem, mas nem tanto ao mar, nem tanto à terra, que o partido não é escada nem poleiro, é fórum, é tertúlia, é amizade e camaradagem, luta e entrega, paixão e desilusão, é entidade viva, é corpo e alma, sempre.

 

Quando um partido esta na oposição, todas as procissões e missas, todos os crentes e descrentes, fieis ou infiéis, próximos ou nem remotamente lá perto, se lembram que afinal existe uma organização, uma entidade, uma tal "coisa" chamada partido. Ainda bem pá!

 

Segunda-feira, 9 de Abril de 2012
comentar

 

Marcelo Rebelo de Sousa esteve no Congresso do PSD. Marcelo Rebelo de Sousa diz que defende o primado da letra da lei e da letra dos estatutos.

Marcelo Rebelo de Sousa diz muita coisa, muitas vezes diz algo, o seu oposto, algo no meio e o seu contrário

Porque não falou Marcelo Rebelo de Sousa da repetição da votação dos estatutos no Congresso do PSD?

Fizeram uma segunda votação a pedido de Passos Coelho para anular a decisão (inconveniente) tomada na primeira votação que aprovou uma proposta da JSD. Em qual das cadeiras do 1 ano da FDL isto se encaixa?

Sábado, 7 de Abril de 2012
1 comentário

Marcelo Rebelo de Sousa é mentiroso? É, que chegue e "sobre" para dar, vender e emprestar.Porquê? Porque serve o mesmo "amo" que a pandilha de flibusteiros e bando de pilhadores que mente como quem respira e engana como se não soubessem fazer mais nada!                      

Mentiram nos subsídios de natal e férias.Dissimularam o congelamento de reformas antecipadas.

Aldrabaram o suposto regresso aos "mercados" em 2013.São claramente o elo mais fraco...adeus, o quanto antes! 

Sexta-feira, 6 de Abril de 2012
comentar

Descobri o que se passou com os subsídios de Férias e de Natal alegadamente sonegados de forma dissimulada e enganadora pelos artistas circenses (sem ofensa à classe!), "Passos & Gaspar" com as suas "partenaires Relvas e Álvaro". É mentira! Mentira! Mentira!

A culpa, é do aquecimento global!

Anda por aí um "efeito", que é "primo do El Ninho", da família do "rectângulo das Bermudas", que foi descoberto pelo "Doutor El Gore", chamado "Xupa Tudo".Isto é uma coisa que começou com o "Xupa Cabras", depois passou para a "Gripe das Aves", e, agora, com o aquecimento global, passou para os subsídios de Férias e de Natal dos trabalhadores...

É verdade, foi um senhor que monta capas de jornais que me contou...

 

Quinta-feira, 5 de Abril de 2012
1 comentário

Existe uma terra "bué bué longe" daqui, onde um rei com nome de peixe "fino"assinou um acordo com uma confederação de nações "bué bué grande" para construir 5 linhas TGV, Transporte Grande e Veloz.

Esse rei, entretando foragido a cumprir serviço de mordomo obrigatório nessa mesma confederação, esqueceu-se desse acordo.

Tal como todos os seus amigos. Esse acordo foi esquecido até ser apenas uma penumbra do passado, perdido entre estórias de indemnizações a condes e barões pelos prejuízos causados pela não construção do Transporte Grande e Veloz.

Passado algum tempo, um outro rei, mais jovem e ousado, enquanto estava a meditar na melhor forma de aumentar os impostos sobre o povo para aliviar a carga sobre os tais condes e barões, teve uma ideia brilhante, "Era mesmo colossal ligar o condado de Massamá ao principado de Barcelona, vamos a isso!"

Então, esse rei, com passo forte e vigoroso, anunciou tão peregrina ideia com estrondo. "Vou ligar o condado de Massamá ao principado de Barcelona para abrir as portas da confederação de nações "bué bué bué grande" aos nossos produtos.Vou construir uma ponte imensa daqui até ali.Viva eu!Viva mim!"

Mas El Rei Coelho, com passo ansioso e acelerado, tropeçou num pequeno pormenor. Com a precipitação de causar uma surpresa colossal, esqueceu-se de um detalhe mínimo...não existe qualquer caminho "daqui" até "ali"! Sem esse caminho é impossível construir qualquer ponte para ligar o condado de Massamá ao principado de Barcelona e o reino de "bué bué longe" à confederação de nações "bué bué forte"!

Depois deste erro colossal, o povo, já farto de ser esmagado sob o peso duma austeridade cega, inutil e excessiva, revoltou-se e destronou o rei incapaz num dia que ficou conhecido pelo "Dia da Relva Queimada".

 

Qual parte desta "história" é falsa? Espero que nenhuma....

 

Terça-feira, 3 de Abril de 2012
1 comentário

Recentemente, tive uma epifania. 

Pude observar, outra vez, tal como em tempos idos mas não muito distantes, a parcialidade manipuladora da escolha das caras e das vozes nos orgãos de comunicação social. Porque dá jeito.

Outra vez o palco todo, em exclusivo integral, para quem representa apenas 5% ou 10%. Porque rende. Porque compensa.

Mais uma vez, a escolha de interpretes é feita para proveito do patrocinador ou do amigo.

Ainda outra vez, entrevista-se o patrocinado para este elogiar o patrocinador.

Como se fosse surpresa, imparcialidade ou apenas informação.

Não é. É encomenda, é jogo, é manipulação. Isto sim é que é trapaça.

Se continuarmos a assobiar para o lado, continuaremos a ter mais do mesmo, requentado e já fora de prazo.

Agora volto a esta casa para assobiar olhos nos olhos...

 

Pesquisar
 
Contactos
camaradecomuns@sapo.pt

Editorial

Visitantes online

Comentários Recentes
Para mim casamento deve ser entre um homem e uma m...
Caro RFCom a modéstia com que foi escrito, podes t...
N sei q espirito deus aspirou pr a Africa. este co...
Mocambique està mais que tudo isto, sinto d...
e há cartas que nunca chegam.
Aguem colocou esta carta excelente na página de PP...
Τambém gosto de brincar aos pobrezinhos.NUNCA MAIS...
Τambém gosto de brincar aos pobrezinhos.NUNCA MAIS...
Everdade este pais precisa de um bom governador k ...
Casino EstorilA falta de escrúpulos veio para fic...
Tags

todas as tags

Links

Esquerda

5 dias
A barbearia do senhor Luís (Luís Novaes Tito)
A Busca pela Sabedoria (Micael Sousa)
A Forma e o Conteúdo (José Ferreira Marques)
A Forma Justa (Tiago Tibúrcio)
A Linha-Clube de Reflexão Política
A Nossa Candeia (Ana Paula Fitas)
Absorto (Eduardo Graça)
Activismo de Sofá (João R. Vasconcelos)
Adeus Lenine
Arrastão
Aspirina B
Banco Corrido (Paulo Pedroso)
Bicho Carpinteiro
Câmara Corporativa
Câmara de Comuns
Cantigueiro
Causa Nossa
Cortex Frontal
Defender o Quadrado (Sofia Loureiro dos Santos)
Der Terrorist (José Simões)
Entre as brumas da memória (Joana Lopes)
Esquerda Republicana
Hoje há conquilhas (Tomás Vasques)
Irmão Lúcia (Pedro Vieira)
Jovem Socialista
Jugular
Ladrões de Bicicletas
Les Canards libertaîres
Léxico Familiar (Pedro Adão e Silva)
Loja de Ideias
Luminária
Machina Speculatrix (Porfírio Silva)
Maia Actual
Mãos Visíveis
Mário Ruivo
Metapolítica (Tiago Barbosa Ribeiro)
Minoria Relativa
O Grande Zoo (Rui Namorado)
O Jumento
O Povo é Sereno
Raiz Política
Rui Tavares
Spectrum
Vias de facto
Vou ali e já venho (André Costa)
Vozes de Burros

Direita

31 da Armada
4R – Quarta República
A Arte da Fuga
A Douta Ignorância
A Origem das Espécies (Francisco José Viegas)
Abrupto (José Pacheco Pereira)
Albergue Espanhol
Alunos do Liberalismo
Blasfémias
Causa Monárquica (Rui Monteiro)
Clube das Repúblicas Mortas (Henrique Raposo)
Corta-fitas
Delito de Opinião
Era uma vez na América
Estado Sentido
Geração Rasca
Herdeiro de Aécio
Macroscópio
Menino Rabino (Marco Moreira)
Mercado de Limões (Tiago Tavares)
Minoria Ruidosa (Miguel Vaz)
O Cachimbo de Magritte
O Diplomata (Alexandre Guerra)
O Insurgente
Ordem Natural (Rui Botelho Rodrigues)
Palavrossavrvs Rex (Joaquim Carlos Santos)
Portugal Contemporâneo
Portugal dos Pequeninos
Psicolaranja
República do Caústico (João Maria Condeixa)
Rua da Judiaria
Suction with Valcheck
União de Facto

Outros

A Baixa do Porto (Tiago Azevedo Fernandes)
A Cidade Deprimente
A Cidade Supreendente
A Terceira Noite
Clube dos Pensadores (Joaquim Jorge)
De Rerum Natura
É tudo gente morta
Horas Extraordinárias (Maria do Rosário Pedreira)
Notas ao Café
O Diplomata
Arquivo

Abril 2015

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008